Arquivo da categoria: Made in Japan + HQ

MAde in japan, tchu, tchuru, tchu tchu, made in japan… Tudo sobre Animes, mangas e afins… que solbermos é claro… Ainda Histórias em Quadrinhos!

Super Sagas e Reboots parte 2

Olá Pessoal!

Cá estou eu novamente para a segunda parte de meu desabafo como fã de quadrinhos sobre as estratégias das duas maiores empresas do gênero. Você confere aqui o post sogre as super sagas da Marvel. Agora irei falar do Reboot, reset, trapalhada sei la como se pode chamar aquilo da DC comics.

Pois é para quem não esta atualizado a DC deu a louca e decidiu após uma saga resetar todo o universo e começar tudo de novo. Todas as revistas foram canceladas e 52 novos títulos serão lançados este mês nos E.U.A. reiniciando clássicos como Action Comics, a revista que apresentou o Superman,  além da Detetive Comics, que apresentou o Batman, e por ai vai. Com isso tudo o que aconteceu na empresa nos últimos 20 anos foi apagado da face da Terra. Ou pelo menos a maioria. Todo mundo de uniforme novo, alguns histórias novas e uma temática diferente para os personagens.

Todo de roupas novas e sem cuecas

A estratégia da DC gerou uma furia dos fãs. Por vários motivos, alguns incrivelmente inúteis (tinha fã nervoso por que mudou o uniforme dos personagens…) e outros bastante plausíveis (jogar anos de publicações no lixo é frustrante para quem acompanhou). Mesmo assim o reboot esta sendo um sucesso de vendas na terra do Tio Sam e a primeira, Liga da Justiça, foram vendidos mais de 100 mil exemplares, algo que naõ acontecia a muito tempo no mercado de quadrinhos. O restante já esta esgotado nas comic shops (para quem não sabe nos EUA as vendas são sob encomenda, você faz o pedido e o comerciante pede apenas quantas revistas foram encomendadas na loja).

Mas será que isso é bom como parece? A DC já fez alguns reboots de suas revistas, o ultimo foi em meados dos anos 80 onde tudo começou de novo mas sem resetar os números das revistas, pelo menos da maioria. Eu tive acesso a primeira rvista da Liga da Justiça e sinceramente se fosse comprador americano teria parado por ai. A história é corrida, confusa e sem final, nem meio, nem mesmo um começo. Ela parece estar a anos na frente das revistas dos heróis o que fica incoerente já que foi a primeira a ser lançada. os desenhos dão a impressão que foi feita às pressas e apesar de ja´contar que o vilão da primeira saga será o Darkseid ( o unico vilão que presta para enfrentar o supergrupo da DC) tudo fica meio nebuloso. As criticas das primeiras novas revistas são boas para algumas como Detetive Comics e Action Comics, mas são péssimas para outras como Static Shocke ou Super Choque por aqui. Há ainda verdadeiras afrontas como uma revista dos apagados Rapina e Columba ainda mais desenhadas pelo famigerado Rob Liefield.

A Nova (nem tanto) Liga da Justiça

Rob Liefild é complicado...

Vemos uma atitude desesperada e sem pe nem cabeça já que a DC vinha liderando as vendas com suas próprias super sagas como A Noite Mais Densa, o Dia Mais Claro e só perdeu em Flashpoint, justamente a tal saga que mudou tudo. Porém O Dia mais Claro, consequência da saga anterior trouxe mudanças significativas ao universo, e agora nunca saberemos como os heróis resolveram elas já que ela nunca existiu!. Como leitor me senti traído principalmente por que as super sagas da DC estavam melhor resolvidas que as da Marvel embora sofriam do mesmo problema crônico de repetição.  Além disso a DC precisava recauchutar era seu panteão de heróis, muito cósmicos, futuristas, e principalmente repetitivos demais para um publico que tem como opção a Marvel com um panteão mais complexo. Ao invés disso deram um golpe de marketing e reiniciaram tudo fazendo o leitor de bobo por ele ter comprado e acompanhado as séries desde sempre.

Outro problema do reboot é a cronologia. Segundo este novo universo, o heróis surgiram a apenas cinco anos. Mas a Sociedade da Justiça, primeiro grupo de heróis do universo terá uma revista, o que não faz sentido já que se os heróis surgiram a cinco anos quando foi que apareceu a
Sociedade? Outro problema que causou uma sincope nos fãs foi os Robins. Todos eles estarão no mundo o que simplesmente não faz sentido já que o Batman existe a apenas cinco anos. Então quando ele treinou toda a pirralhada? A resposta da DC?: Robin é um programa de estágio! Isso mesmo os Robins são bat-estagiários. Então o Asa Noturna é o que? O Trainee? Existirá uma companhia financiada de Batmen em todo o mundo o que deve explicar essa história de estagiário, mesmo assim o reboot abriu um buraco gigante na narrativa. Já a Batgirl voltará a andar e não terá levado um tiro do Coringa, mas ela se lembra de ter levado o tiro!? Confuso? Eu também e as histórias ainda nem começaram…

Ela sabe que aconteceu alguma coisa, só não sabe o que...

Eu sinceramente acho que o Reboot deveria ter apagado alguns heróis do universo e buscado algumas explicações menos estranhas. Eu detesto as versões teen dos heróis como Superboy, KidFlash (meu mais odiado) e Moça Maravilha (sem contar que o nome é bem tosco) e estes deveriam ser anulados principalmente por que todos os heróis do mundo serão novatos e jovens, o que não faz sentido os heróis teens manterem suas homenagens aos grandes já que estes acabaram de iniciar a carreira. Se querem colocar os Jovens Titans colocassem a formação original sem os heróis teens que dava mais certo…

Super Malhação

Não sei se estas vendas continuarão bem com o tempo, talvez as histórias melhorem, mas se queriam começar tudo de novo com novos uniformes e mais modernos seria mais fácil e principalmente mais legal com os leitores se fizessem um universo ultimate da DC. Não precisava ter este nome e poderiam aos poucos encerrar as revistas originais com alguma história bacana de encerramento com grandes autores e finalmente acabando com os heróis já que um dia essa turma vai envelhecer… Este é o problema é que as histórias em quadrinhos mensais  e intermináveis já estão saturando os leitores que cada vez tem outras opções de lazer. As histórias fechadas, com começo e meio e fim  são mais atrativas e possibilitam uma versão mais aprofundada dos heróis do que esses arcos que logo são substituídos por outros e outros até você descobrir que tudo que leu na verdade nunca aconteceu por que um executivo achou que não estava sendo rentável. E este é o perigo, daqui a alguns anos todos os heróis serem resetados de novo.

P.S. Até gostei de alguns uniformes, e tirar a cueca por cima da calaça do Super era preciso

P.S. O que me surpreendeu foi a briga de fãs para tirar a calça da Mulher Maravilha, brigaram tanto até ela voltar a parecer uma stripper…

P.S. Me desculpem mas aquela turma teen da DC é que aprece programa de estágio.

Anúncios

Super Sagas e Reboots parte 1

Olá Pessoal!

Cá estou eu novamente para falar de quadrinhos! Não sou especialista no assunto, temos nossos dois especialistas aqui no Blog para falar de HQs, mas estou falando aqui como humilde fã do gênero, uma voz que as empresas do ramo deveriam estar ouvindo mais ultimamente. Atualmente o mercado (americano mas que rege o restante) anda passando por uma “crise” segundo os empresários. Ao que parece as novas mídias andam roubando o público do pessoal do cuecão por cima da calça. Com isso as empresas, afinal são empresas e precisam de lucros, estão apostando suas fichas em super sagas que envolvem todo o universo (Marvel) e em Reboots que resetam todo o universo (DC). Mas sérá esse o caminho certo para salvar a nona arte?

Eu como fã do gênero desde moleque conheci tempos de altos e baixos dos quadrinhos. Mas os grandes momentos eram bem diferentes do que estamos vendo hoje. Vamos começar falando da Marvel e suas Super Sagas.  Desde Guerra Civil, a casa das idéias percebeu que era lucrativo juntar todos os heróis disponíveis e coloco-los para saírem na porrada em grandes e coloridas sagas que envolvem todo mundo. desde então TODOS os anos estão saindo super sagas atrás de super sagas envolvendo todo o universo e provocando “consequências que vão mudar para sempre o universo Marvel”. Porém isso esta empobrecendo o universo. Guerra Civil tinha uma história bacana, combates eletrizantes, questionamentos éticos filosóficos e ainda desenhos de altíssima qualidade. Realmente provocou mudanças no universo com a revelação da identidade do Homem Aranha, e a morte do Capitão América. Porém essas profundas consequências não duraram, nada! O Capitão foi substituido, o aranha “voltou no tempo” e nunca revelou sua identidade. Ué pera ai!? eu paguei pelas mudanças como assim!? Sem contar que o Capitão original ressucitou no ano seguinte. Nada tão drástico já que ninguém morre de verdade nos quadrinhos.

Essa sim foi uma boa super saga

Momento emblemático da saga, que se revelou completamente inútil depois....

Em seguida a Marvel trouxe a O Mundo Contra Hulk, uma saga não tão ruim mas sem comparação com a original, depois veio Invasão Secreta, Com roteiro confuso, desenhos péssimos e desfecho horrendo, criado apenas para não perder o verão americano. Em Seguida tivemos a Looooonga Reinado Sombrio com os vilões dominando o universo, em seguida veio o Cerco, que fechou esta saga. Agora tivemos Fear it Self (Sem nome em português ainda) e já estão preparando para o ano que vem mais uma saga com “consequências que mudaram para sempre o universo Marvel”. Isso anda empobrecendo os heróis da editora e as próprias super sagas. A graça das super sagas é chegarem fazerem o reboliço e depois os heróis passarem  um bom tempo convivendo com isso. Era assim que era antigamente. Uma super saga era algo raro, um mega evento com revistas de material melhor e desenhistas especialmente convidados. Agora viraram fast food de verão americano. Não da tempo de você digerir as consequências pois logo ta todo mundo ocupado de novo enfrentando uma nova ameaça.

Invasão Secreta...

... Reinado Sombrio...

... e ufa! Fear It Self. Pera ai tem mais!?

O que Guerra Civil provocou foi fantástico mas totalmente apagado pela péssima Invasão Secreta com explicações escrotas que não eram necessárias. Os grandes eventos perdem o valor pois você sabe que daqui a pouco terá outro e depois outro e depois outro. AS tais grandes consequências não são bem resolvidas, não dá tempo de você saber como a vida dos heróis fica depois de um evento de tal magnitude. O pior é o momento entre as super sagas. Quando deveriam haver histórias individuais melhores, na verdade só vemos uma preparação para a próxima super saga. Não tem um aprofundamento nos personagens, não conhecemos mais o lobo solitários Wolverine, ou a complexidade do Homem-Aranha, tempos apenas personagens que ajudam a juntar mais leitores e a aumentar o número de heróis por quadrinho. Todo mundo fica ali misturado e há personagens que muitos não conhecem os poderes direito.

Secret Invasion: Essa realmente deve ter sido criada pelos Skulls!

A Marvel anda optando por massificar as coisas quando o que realmente atraiu o publico nos quadrinhos dela era aproximação do indivíduo. AS pessoas gostavam de ver o aranha convivendo com problemas humanos, e ainda tendo o peso de ser um super-herói. O charme sempre foi aproximar os leitores da realidade fantástica de seus heróis, pois eles eram cegos, cientistas, fotógrafos, e com isso eles poderiam se ver naquelas histórias  seu mundo representado  de forma mais interessante. Mas isso parece que não tem mais espaço. A Marvel assumiu o estilo BlockBuster em suas histórias nos quadrinhos e ainda não percebeu que as maiores obras do gênero sempre foram as autoriais, curtas e que aprofundavam em um personagem.

Até quando isso vai durar?

A seguir a segunda parte do post falando do Reboot da DC!

P.S. Eu não vi nem metade da qualidade de Guerra Civil em nenhuma super saga seguinte

P.S. Sinto falta de sagas individuais boas, e que realmente valiam a pena ler

P.S. Quem começou a ler histórias em quadrinhos recentemente não faz a menor idéia da origem dos heróis, esta maluco com tantos uniformes coloridos ao mesmo tempo.

Que venha a luz!

Olá pessoal

Cá estou eu novamente para falar das minhas expectativas sobre o filme do Lanterna verde! Claro que por enquanto não dá para dizer se o filme é bom ou ruim mas já dá para se ter uma idéia do que virá. Primeiro vamos ao último trailer lançado:

Bom atualmente meu herói preferido tem sido o Lanterna Verde. Não o herói em si mas a tropa dos lanternas pois estou lendo O Dia mais Claro, saga atual da DC e por isso estou todo empolgado com o trabalho foda que Geoff Johns tem feito com o gladiador esmeralda. Mas o que esperar do filme?

cartaz oficial!

Bem a Warner finalmente entendeu que filmes de super-heróis tem de ser levados a sério. Foi preciso que a Marvel lançasse uma sequência de sucessos bem orçados e bem feitos para que a empresa dona do Superman e Perna-longa entendesse que era possível sim ganhar dinheiro com gente de cola e olha! Ela tinha sua própria empresa disso, a DC. Com isso ela correu e lançou seus próprios sucessos como Batman o Cavaleiro das Trevas e  Wacthmen, mas ela sabia que queria mais. Com isso agendou uma série de adaptações e agora luta contra o tempo para emplacar os supers já que ano que vem não terá Harry Potter para garantir os milhões de bilheteria blockbuster.

Com isso e um pouco de bom senso talvez tenhamos finalmente os heróis mais clássicos dos quadrinhos melhor representados nas telonas afinal todos queremos esquecer certos fiascos (Mulher-gato eu nem vi, mas ainda tenho pesadelos com O Retorno do Superman…). E claro por que não ver o quintal do vizinho para saber qual adubo ele usa na árvore de dinheiro?

Para tanto a DC viu em Homem De Ferro que  heriós conhecidos apenas dos nerds sem vida social podem ser sucessos de bilheteria. Basta terem uma história bacana, humor sem exagerar e bons efeitos. E ela então preparou seu próprio sucesso Lanterna verde. Com Hal Jordan e sua personalidade boêmia, piadinhas inteligentes e uma rica história de plano de fundo o protetor do setor 2814 era perfeito para este recomeço. Para isso chamaram o fazedor de dinheiro atual das revistas que desbancou a Marvel e seus crossovers intermináveis, Geoff Jonhs para ajudar no roteiro e resolveu começar algo do início.

O que esperar afinal de contas !? Pelo que vi dos trailers, e isso me assusta pois estou muito empolgado e posso me decepcionar, este parece que será o melhor filme de supers do ano! Com o Thor fraco e comercial demais, e um Capitão américa que parece ir pelo mesmo caminho Lanterna Verde tem tudo que fizeram dos recentes lançamentos de capas e cuecas por ciam da capa sucessos de bilheteria. Contando a história de Hal Jordan desde o início, o filme pretende apresentar aos novatos este super herói, com um ator que se encaixou muito bem no papel, Ryan Reynolds. Assim como Robert Downey Jr. me fez acreditar em IronMan quando lançou e eu disse isso no blog, acredito que ele irá ser um ótimo Hal Jordan, descontraído mulherengo.

Além disso os fãs não foram esquecidos sendo que as referências as revistas são muitas como por exemplo, TODOS, eu disse TODOS, os Lanternas que aparecem serem membros que existem da tropa nos quadrinhos. Isso mostra um carinho e atenção para a produção sem fugir muito. Além disso Sinestro começa não como o arquivilão, assim como o Batman, mas como o mentor para que os novos fãs entendam a gravidade de sua traição. Claro que posso estar errado, mas acho que no mais apenas uma ou outra ideia imbecil me mate de raiva.

Mais da tropa

No mais acredito nesse filme e no potencial da produção. Espero que o grande público pelo mesmo goste para vermos mais Lanternas nas telonas em um futuro próximo.

P.S., Eu já decorei o lema dos lanternas em inglês falta em português

P.S. Quero aprender TODOS os juramentos de TODAS as tropas…. Seria isso uma loucura?

P.S. Gostei do uniforme apesar de tudo ficou bem alienígena

Injusto!!!

Por Lightsaber “Vinícius”

olá pessoal!!

Por sugestão de um de nossos leitores assiduos (sim temos leitores assiduos!) o Diogo, vou falar sobre injustiças cometidas no mundo dos Super herois e sobre poderes mau usados.

Bom alguns heróis são descritos com N poderes, grandes habilidades e aptidões físicas, mas quando vão para resolver os problemas não usam nem metade das habilidades descritas em seus “portfólios”. Com as constantes varições de roteiristas os poderes dos heróis sas HQs sofrem mutações que deixam os fãs indignados, confusos e revoltados.

Um exemplo disso é Thor, o deus doTrovão. Descrito na revista como a encarnação do deus nordigo do trovão Thor deveria ser um arrasa-quarteirões apelão e desmedido. Mas ele não é. Já levou N surras de um monte de gnete, todo mundo rouba seu martelo, e por ai vai. Mas isso não deveria acontecer.

Thor o injustiçado Marvel

Primeiro, Thor, é um deus! ou seja ele possui uma série de habilidades sobre humanas, como fosrça, resitencia, sentidos aguçados e outras coisinhas. Além é claro de ser praticamente imortal. Seu martelo é uma das mais poderosas armas mágicas dos deuses nordigos e por isos apenas o próprio deus deveria empunha-la, ou pessoas de coração puro. ele é capaz de invocar tempestades, da proporção que ele quiser, relampagos que nunca erram o alvo, afinal são místicos, dentre outras habilidades climáticas.

Mjolnir deveria ser algo apelativo mas...

Porém a maioria dos roteiristas se esquece disso.  Ele então tem o martelo roubado por vilões, leva surra de gente que deveria ser bem mais fraca, pega rabo com certos vilões da Marvel. Enfim o poder dele é totalmente ignorado pela constante troca de roteiristas que nem sabem a origem do persongaem e querem apenas contar uma historia. Isso cria uma confusão na cabeça dos leitores que nunca sabem o poder dos personagens, que só aparece realmente quando é conveniente…

o deus do Trovão levando mais uma surra sem sentido...

Outro injustiçado das HQs é (um dos meus preferidos, apesar do uniforme… ) Capitão Marvel, ou como anda sendo chamado Shazam. Na história original o personagem deveria ter os seguintes poderes:

O poder de Zeus, ou seja disparar relampagos, e outras habilidades fodasticas de comando e estratégia que só o deus supremo do olímpo deveria ter (só ai ja incluem como disse forças, agilidades entre outros),[ATUALIZADO] além destes poderes ele é um deus supremo e pode controlar a matéria, tem um pouquinho do pai Cronos em relação ao controle do tempo e da vida da vóvó Gaia. Imaginem isso no compo de batalha….

A sabedoria de Salomão, isso quer dizer que eeld evaria ter um raciocínio rápido para questões lógicas, o que o daria uma inteligencia, tão boa ou até melhor que do Batman, isso seria de suma importancia para batalhas, some a isso a estratégia provinda de Zeus…,

ele é inteligente igual o Batman...

A força de Hércules, isso quer dizer que ele tem a força de um deus que tem a força maior que a dos outros, quer dizer que ele tem a força do Superman, talvez maior,

O vigor de Atlas, pra quem não sabe Atlas é o titã que segura a Terra nas costas pela eternidade, ou seja ele não se cança, NUNCA, imaginem ter este vigor, ser incansável!?

A invulnerabilidade de Aquiles, Aquiles era o supra sumo do invulnerável, comoele foi banhado no Estíges, o rio do mundo dos mortos, nada, nem os deuses podiam acerta-lo, exeto pelo calcanhar claro. Agora Shazam não tem o problema do calcanhar, ou seja ele também tinha uma certa invulnerabiulidade à magia, coisa que nem o Super tem.

...e forte e invulnerável igual o Superman!

A velocidade de Mercúrio, o deus mensageiro deveria ser muito rápido, afinal devia entregar as mensagens de Zeus e sua turma em tempos de guerras com titãs e outras coisas. Logo ele é mais rápido que o Flash, logo Shazam é mais rápido que o Flash.

SHAZAAAAM!!!

Como podem ver levnado ao pé da letra o poder de Capitão Marvel nosso amigo seria um dos mais poderosos seres do Universo DC. Uma verdadeira maquina d ematar e não iria perder para Thor na batalha das duas editoras pois ia deitar o deus do trovão rapidamente já que ele tem a força de dois deuses, é incansável, super rápido e inteligente e invulnerável até mesmo a magia…

Bom estes dois personagens servem de exemplo para o ponto deste artigo que é: os roteiristas não sabem aproveitar bem personagens. como muitos devem acha-los poderosos demais, outros nem sabem quais os poderes cada um os vê de alguma forma. Isso desbalanceia o que realmente foi proposto pelos criadores originais. Isso sem contar nas apelidadas de ‘Marvelices” (referencia a Casa das Ideias pois isso ocorre commuito mais frequencia lá) onde os personagens ganham e perdem poderes de uma saga para outra ou porque muda-se os roteiristas ou porque ocar asimplesmente ignora tais fatos.

Fico triste  com essas copisas pois mesmocom alto níveis de poderes podemos ter histórias épicas, mas muitos roteiristas nem sabem medir tais poderes. Uma pena

Bom fico por aqui comentem a vontade pessoal

P.S. Imaginem se os poderes destes personagens tivessem sido realmente levados em conta, como a luta seria impressionante.

P.S. Dizem que em poucas vezes Shazam limpouo o chão com o Super, o que deveria acontecer com muito mais frequencia…

"sou como vc e melhor, não me canso! yes!"

P.S. A história de Thor é legal gente.. espero que o filme seja bom também… espero

PS. disseram que o Shazam ganharia um filme, mas isso anda sendo muito mais especulação.

P.S. se Esqueci algo ou me equivoquei por favor comentem

Anime Series – Soul Eater

Hi people! ^^

Pra hoje eu planejava outro título, mas como acabei não conseguindo terminar de vê-lo, vamos para outro que eu acabei hoje mesmo: Soul Eater.

Soul Eater - Mangá

Soul Eater - Mangá

Wikipédia power…ON!”

Soul Eater originalmente foi lançado como mangá, escrito e ilustrado por Atsushi Okubo. O mangá é publicado por ninguém menos que a Square Enix. Começou a ser lançado de forma regular em Maio de 2004 e até Março de 2009 já haviam sido lançados 14 volumes.
A adaptação para o anime foi produzida pelo estúdio Bones e foi ao ar pela TV Tokyo pela primeira vez em Abril de 2008, contendo 51 episódios.

Wikipédia power…OFF!”

Soul Eater - Black Star

Soul Eater - Black Star

A história narra as aventuras dos estudantes de uma escola chamada Shibusen, que é uma escola técnica especializada para artesãos e armas feita pelo Shinigami (Deus da morte na mitologia japonesa…mas com Bleach e Death Note aí, todo mundo já deve estar cansado de saber disso xP).
A escola ajuda os artesãos a desenvolver suas habilidades conjuntamente com suas armas, para que ele possam combater seres malignos. No caso seriam pessoas que tiveram sua alma corrompida e começaram a matar outras e devorar as suas almas.
Ao derrotar esses inimigos, eles liberam um “ovo de kishin“, que seria a alma corrompida, e as armas absorvem isso. Ao absorverem 99 ovos de kishin e uma alma de bruxa(nessa exata ordem), a arma ganha o direito de se tornar uma Death Scythe (Foice da morte, mas nesse caso conta mais como uma categoria) e ser usada pelo Grande Shinigami (sendo o maior objetivo na vida dos estudantes).

Soul Eater - Personagens principais 1

Soul Eater - Personagens principais 1

A história foca em 3 estudantes: Maka Albarn (menina muito inteligente que tenta criar uma Death Scythe melhor que a que a sua mãe fez no passado) e Soul Eater Evans (uma foice, arma da Maka), Black Star (único sobrevivente do Clã da Estrela, temido clã de assassinos que foi dezimado graças as suas ações malignas, tem um grande ego e auto proclama que vai superar Deus…mas é um tanto quanto atrapalhado e desconcetrado na maior parte do tempo) e Nakatsukasa Tsubaki (múltiplas armas seguindo o arsenal de um ninja, arma do Black Star) e Death The Kid (filho do shinigami, incrivelmente poderoso, um gênio…mas que tem um problema muito sério com simetria hehehe) e Irmãs Thompson (duas pistolas, Liz e Patty, são as armas de Death The Kid).

O anime tem um traço mais simplificado, que aliás não costuma agradar muito os mais exigentes ou acostumados com séries mais detalhadas. Mas, o forte dele são as cenas de ação, que são retradas de uma forma muito interessante e dinâmica…fora que os cenários também são bem legais na minha opnião (destque para o Sol e a Lua, completamente sem noção xP).

Soul Eater - Personagens principais 3

Soul Eater - Personagens principais 3

Trilha sonora não é muito grande, mas é muito boa e é excelente para se ter em casa e ficar ouvindo no PC hehehe.Bandas boas e as as outras músicas também se aderem bem.

Soul Eater, como a maioria de animes mais novos, tem boas doses de humor, que é bem explorado até certa parte e depois começa a ser deixado mais de lado por causa do clima mais pesado da história.

O anime no todo é muito legal e instiga você a ir assistindo mais e mais. Eu achava que ele tinha potencial para se enquadrar em um dos “infinitos”(tipo Naruto, Bleach, One Piece, etc) ou pelo menos ser um anime grande e cheguei a me assustar quando descobri que acabaria no episódio 51.
Depois de minha experiência atual com Naruto, quando eu descobri que ler o mangá compensa muito mais por não ter que encarar fillers enormes, parte cortadas/desviadas/inventadas especificamente para a versão anime (mas é algo que abordarei mais profundamente outro dia), resolvi baixar o mangá pra conferir. Ainda não tive chance de ler, mas pelo pouco que passei os olhos em páginas mais avançadas, vi que o mangá tem mais coisas que no anime (pra variar).
Existem casos que é manero ver o anime, pois certas cenas de luta ou as músicas, acabam dando mais vida ao conjunto da obra…mas eu detesto a idéia de estar vendo uma história modificada ou picotada.
Imagine se você escrevesse um livro e quando fosse publicar, alterassem a história…numa futura adaptação pra desenho, alterassem de novo…no final só a idéia base seria a mesma e o todo o resto seria diferente…é um absurdo. Mas eu sei que certas coisas não podem passar na TV, são difíceis de fazer, etc…mas ainda considero uma tremenda mancada quando vejo isso.

Soul Eater - Death The Kid

Soul Eater - Death The Kid

No mais, é uma excelente pedida para se passar algumas boas horas em frente a TV/PC…principalmente para se divertir com as situações e os diálogos dos personagens (aliás, o Black Star é meu favorito…o ego dele batendo no teto é muito bom e me lembra um pouco o Tendoh Souji de Kamen Rider Kabuto). Podem assistir de boa!

No próximo episódio: Mechas de um futuro tecnológico ou de um passado estilo bang-bang? Qual será a próxima vítima? Não percam na sequência emocionante dessa saga épica! xD

See Ya! ;D

P.S.: Eu gostaria de ter colocado imagens melhores, mas do jeito que a net tá aqui, foi algo impossível…gomen! >.<

Anime Series: Hades Project Zeorymer

Hi people! ^^

Antes de mais nada, vou aproveitar para comentar algo que esqueci no último post. Gostaria de agradecer, em nome do blog,  a todos que sempre acessam o nosso blog ou mesmo os passantes acidentais, pelas mais de 32000 visualições e também a todos que sempre comentam as postagens. Muito obrigado mesmo!
Aproveito para lembrar que os comentários sempre são bem vindos, sejam críticas, idéias, observações, pedidos, ou puramente comentários (porque não xP)…é uma forma legal de se medir o nível de interesse e agrado do pessoal que acessa o post, e para nos ajudar a compor o conteúdo e melhorar a qualidade.

Finalmente minha tablet chegou (não me lembro se já havia postado falando sobre ela, mas fazia anos que eu tinha vontade de adquirir uma) do USA, e devo confessar que é fenomenal poder usar um gadget como esse. Estou muito feliz por mais essa conquista, e futuramente, penso em até fazer um post falando sobre tablets para o pessoal conhecer melhor o que são e para saberem como escolher a sua na hora de comprar.

Voltando ao contexto…

Hoje vamos falar sobre um anime das antigas, e que trará saudosas lembranças as pessoas que assistiam a programação da extinta TV Manchete. Pioneira passando animes na TV brasileira, exibia vários títulos interessantes e foi nesse período que houve a “era dourada” dos animes em minha opnião, já que a variedade era legal, a dublagem era quase que ao pé da letra e não haviam cortes (não era esse lixo, com o perdão da expressão, que temos nos canais abertos hoje em dia).
Um dos programas exibidos pela TV Manchete se chamava U.S.Manga (em 1997), que televisionava vários OVA’s (Original Video Animation) licensiados pela produtora “U.S. Manga Corps“. Foram ao ar 11 animes diferentes.

O escolhido de hoje é o Hades Project Zeorymer ou Zeoraima (como foi chamado aqui no Brasil).

Zeorymer - Cartaz 1

Zeorymer - Cartaz 1

Seguindo as informações da Wikipedia como sempre, Zeorymer foi um mangá criado por Yoshiki Takaya (e escrito usando o pseudônimo de Chimi Morio…lembrando que o uso de pseudônimos é muito comum no Japão) e foi publicado numa revista de mangá adulto chamada Lemon People em Outubro de 1983 até Novembro de 1984. A adaptação para OVA, produzida pela Toshiba EMI e Youmex, e com a animação de AIC e ARTMIC Studios, reuduziu de forma significativa o conteúdo sexual explícito contido no mangá.

A história se passa num futuro próximo onde uma organização chamada de “Tekkoryu“, também conhecida como “Hau Dragon“, tenta dominar o mundo usando uma série de robôs gigantes. O modelo mais poderoso chamado de “Zeorymer Celestial” ou “Zeorymer do Céu” foi roubado por um dos membros e destruiu parte da organização.
Anos depois, a organização está reestabelecida e quer novamente conquistar o mundo e também quer se vingar da traição passada. Descobrindo que o governo japonês está em posse do robô, eles mandam um de seus guerreiros Hakkeshu (os pilotos que pilotam os robôes especiais) para destruí-lo.
Enquanto isso, um adolescente de 15 anos de nome Masato Akitsu, é literalmente sequestrado e forçado e pilotar o Zeorymer por uma garota chamada Miku Himuro, que diz que ele é o único que pode pilotá-lo e enfrentar a Hau Dragon.

Zeorymer - Cartaz 2

Zeorymer - Cartaz 2

Apesar de que algumas pessoas mais acostumadas com gráficos mais novos e avançados possam estranhar o que vou dizer…os gráficos do anime são muito bem feitos, principalmente o background (fundo das cenas).
Os OVA’s costumam ser assim, pois contém poucos capítulos. Mas, exatamente por isso, a história costumada ser muito corrida e cortar muitas coisas, principalmente quando baseada em um mangá ou livro (com exceção de extensões de animes que tem episódios extras ou especiais feitos em modelo OVA). No caso de Zeorymer, mesmo não tendo lido o mangá, a história parece ser bem coesa e é possível seguir tudo com um alto nível de satisfação.
Outra coisa interessante é que Zeorymer, Detonator Orgun, entre outros, são de uma época em que os traços dos robôs eram diferenciados, pois, depois do “fenômeno Gundam” surgiu, os designs quase sempre pareciam ser tê-los como base…não que fosse ruim, mas sempre é legal ver idéias inspiradas mas que ganham vida com personalidade e criatividade.

Zeorymer - Personagens 1

Zeorymer - Personagens 1

O som não é muito o forte de animes da época (em comparação com hoje em dia onde sempre temos bandas famosas compondo a trilha sonora dos animes), mas ainda assim é agradável e se adapta bem ao contexto.

A história em si é interessante, sendo dramática e instaurando situações complicadas…e exatamente por isso você percebe o porque de Evangelion (aliás, futuramente vou falar sobre ele aqui) ter sido baseado em Zeorymer. Fica bem claro enquanto você vai assistindo.
O Zeorymer em si, como o próprio anime situa, é a unidade mais forte entre os oito robôs (que são oito por se inspirarem nos elementos mitológicos japoneses que seriam fogo, água, vento, terra, lua, céu, montanha, raio/trovão, não necessariamente nessa ordem)…e exatamente isso que ligeiramente incomoda, pois ele é tão overpower que as batalhas perdem um pouco da graça.
Lógico que muita gente não vai se incomodar, mas se tudo fosse mais equilibrado, poderia dar uma adrenalina maior. De qualquer forma, ainda é interessante observar os robôs inimigos usandos vários ataques especiais elementais (com direitos a nomes e tudo) contra o Zeorymer e o mesmo mal soprar ( sem nenhum nominho diferente) e destroça-los. xD

Zeorymer - Personagens 2

Zeorymer - Personagens 2

Esse anime á uma ótima adição para a sua biblioteca, ou mesmo para constar no “Hall do que você já viu”. É um clássico e com certeza é recomendadíssimo, seja você um iniciante que quer ver como eram feitos os animes mais antigos ou alguém experiente que quer matar a saudades dos velhos tempos.

Aliás, como eu gosto muito de cultura japonesa, mangás, animes, desenho, etc…acredito que toda e qualquer “experiência visual” seja válida, pois você pode acrescentar algo mais na sua bagagem cultural. =)

Zeorymer Action Figure - Eu queria um desses...

Zeorymer Action Figure - Eu queria um desses...

Bem, por hoje é só pessoal! hehehe
No próximo episódio, muito provavelmente, vamos abordar outro anime clássico que compôs a programação da U.S. Mangá: Detonator Orgun.
Então não percam o próximo capítulo dessa nossa saga referente ao acervo de animação japonesas ok!

See Ya! ;D

P.S.: Se alguém, por acaso, souber onde posso encontrar os filmes de Evangelion, eu agradeceria muito se pudessem me comunicar por comentário…já que só não falei sobre Evangelion ainda pelo fato de querer ver os filmes primeiro. xP

P.S.2: Reforçando o que eu disse no início, se tiverem dicas, comentários, críticas, idéias para postagens ou assuntos, sugestões, ou qualquer outra coisa, deixem sua marca no blog comentando ok people!

P.S.3: Hell Yeah baby! Tablet Power rules Dude! \o/

Animes Series: Casshern Sins

Hi people! ^^

Acabei de assistir agora a pouco o anime que será abordado hoje: Casshern Sins. E comecemos com os dados técnicos, que podem ser encontrados na fabulosa Wikipedia.

Casshern Sins

Casshern Sins

Casshern Sins é um remake de um outro desenho clássio chmado de Neo-Human Casshern, produzido pela Tatsunoko Productions e animado pela Madhouse, e começou a ser exibido no final de 2008.

A série foi completamente reconstruída, ignorando os fatos do outro anime, conjuntamente com a continuidade da história original.Em Neo-Human Casshern , Casshern era um Super-herói cibernético que enfrentava as forças robóticas malignas do temido Braiking Boss, em um mundo pós apocalíptico. Abaixo segue um vídeo da abertura de de Neo-Human Casshern em japonês.

Também existe um filme feito no estilo “live action” chamado de Casshern, que foi lançado em 2004 no Japão. Eu não assisti ao filme, então não vou me ater a comentar sobre o mesmo. Abaixo fica um trailer curto (eu vi outro trailer em que a ação até que é bem feita e representa bem a idéia da série…mas não sei se é do início, meio ou fim do filme…então melhor não deixar spoilers):

Casshern - Poster do filme

Casshern - Poster do filme

Já em Casshern Sins, Casshern é mostrado como um ciborgue, sob as ordens do Braiking Boss, que foi ordenado a matar a salvadora da raça humanda, conhecida como Luna, e isso levou o planeta a perdição com o começo da ruína (seria o enferrujamento acelerado dos robôs, tratado como uma doença, pois antigamente isso não acontecia na história).

A história usa alguns personagens do enredo original como Friender (o cachorro que acompanha Casshern e originalmente tinha habilidade de se transformar em veículos e até de cuspir baforadas de fogo), o próprio Braiking Boss, e Luna (que no anime original era aliada de Casshern e nesse só usaram o nome e não a aparência original).

Casshern Sins - Casshern

Casshern Sins - Casshern

O traço usado no anime é detalhado, mas parece um pouco simplista se comparamos a nova geração de animes do momento. Mas com certeza, os cenários são divinamente bem feitos e o uso de cores e contrastes é estonteante.

A trilha sonora é muito bonita e encaixa perfeitamente no contexto de um mundo pós-apocalíptico onde as pessoas costumam viver em constante sofrimento (meio pesado falando assim…mas é a idéia mesmo…).

Casshern Sins - Casshern e Ringo

Casshern Sins - Casshern e Ringo

A enredo é bem dramático. Casshern, que está com aminésia e não se lembra do passado, segue uma vida confusa sem rumo enquanto “Deus e o mundo” tentam matá-lo graças a um rumor que devorá-lo poderia parar a ruína.
Mesmo com essa descrição, o foco não está nas batalhas (que são bem escassas e rápidas também, porque Casshern é o robô mais forte do extinto exército do Braiking Boss…então já viu né), mas sim, em decisões morais e a batalha das pessoas para sobreviver (pois o conceito da ruína nada mais é do que a morte).

Casshern Sins - Casshern em modo beserk

Casshern Sins - Casshern em modo beserk

Eu originalmente, prefiro o Casshern da história original, não só por ter mais ação e tudo mais, mas sim pelo fato de que se alterar uma idéia clássica tão drasticamente assim não é muito bom…mas claro que é minha opnião. Seria mais interessante um remake, e talvez pequenas mudanças…não só adepto da idéia de se “destruir”, literalmente, tudo que uma pessoa criou e fazer uma “adaptação” do zero.

Casshern Sins - Casshern destruindo robôs

Casshern Sins - Casshern destruindo robôs

Existem alguns jogos nos quais Casshern já apareceu. Não encontrei muitas referências específicas (aliás, só uma mais recente), mas me recordo que ele participava de um jogo de luta chamado Tatsunoko Fight(Playstation), onde vários personagens da Tatsunoko batalhavam entre si(Gatchaman, Tekkaman, etc).
E atualmente, encontrei o Tatsunoko Vs Capcom: Cross Generation of Heroes(Na imagem da capa que encontrei mostra Wii…mas não consegui descobrir se saiu pra outra plataforma), mas nem vou falar nada já que o título é bem explicativo né. Essas séries sempre são absurdas, mas rendem uma boa diversão no final das contas.Abaixo, um vídeo e uma imagem, respectivamente do primeiro e segundo jogo que comentei:

Tatsnunko Vs Capcom - Capa do jogo para Wii

Tatsnunko Vs Capcom - Capa do jogo para Wii

Bem, no mais, eu aconselho assistirem ao anime, pois graficamente ele foi muito bem feito. Por mais que alguns talvez não gostem muito do “clima” do enredo, as imagens e a trilha sonora compensam e muito.

Em breve retorno com algo mais para vocês. Estava querendo falar sobre um das antigas que estou baixando novamente…não vou estragar a surpresa, mas…alguém se lembra de US Mangá?

Abraço! ;D

P.S.: Em breve, estou pensando em escrever sobre outras coisas para variar um pouco os posts. Talvez inaugurar a seção de musica (acredita que nós temos uma?) com nomes de músicas e bandas de anime….ou talvez falar de mangás (mas eu tenho poucos, então ficaria escasso >.<)…mas vamos ver o que pode sair xP

Animes Series – Code Geass R2: Lelouch Of The Rebellion

Hi people! ^^

Gostaria primeiramente de falar que eu devo ter uma boca maldita (ou pelo menos dedos malditos, pois eu digitei né), pois no último post eu citei coisas que acontecem pra impedir as postagens…e não é que aconteceu algo mesmo! O modem que envia sinal de internet pra minha casa queimou e eu fiquei praticamente um mês sem net xD

Além de tudo, como estou planejando me mudar no início do ano que vêm, estou vendendo meu Xbox 360 (travado, placa falcon e com praticamente 1 ano e meio de garantia ainda), 4 jogos originais (Mass Effect, Naruto – Rise of a Ninja, Gears of War 2 e Ninety Nine Nights, todos pouco usados…foram comprados final do ano passado) e 3 Acessórios (Cabo VGA MS, Kit Play & Charge MS e Cabo HDMI normal) para poder ajudar nas compras do que for preciso. Caso alguém se interesse em algo acima (saber preços, etc),  entre em contato no email (kallrish@gmail.com). Findado o jabá, voltemos ao estúdio.

Mas bem, a parte boa é que deu tempo para começar e terminar de ver a sequência do anime citado no último post e que é o tema deste: Code Geass R2: Lelouch Of The Rebellion.

Code Geass R2 - Personagens principais e novatos

Code Geass R2 - Personagens principais e novatos

Como eu já citei toda a informação técnica a respeito do seu sucessor, e até mesmo um breve comentário sobre este também, vou me ater somente a relembrar que ele possui 25 episódios.
Comentário a parte, é perceptível que parece ser a continuação da história para completar os eventos que acontecem no primeiro mangá (onde a Lelouch é o foco), mas como eu não tive a chance de ler o mesmo, fica só a minha opnião.

A história é uma sequência direta dos fatos ocorridos em Code Geass, continuando do ápice da disputa do último episódio.
Eu achei muito boa essa continuação, não somente por ela revelar fatos que ficaram obscuros no anime anterior, mas também porque a escala da guerra cresce realmente para um nível mundial dando ênfase para a Federação Chinesa (que não teve quase atenção alguma anteriormente)…mas talvez peque por dar atenção grandiosa somente a ela também.

A guerra de raciocínio continua muito bem empregada, acrescida de vários outros fatores complicadores  devidos a fotos ocorridos no primeiro volume (e que  logicamente não posso contar né xP), mas achei bem interessante.

Nesse episódio, que dá um fim a série (ou pelo menos aos fatos que se passam no primeiro mangá), são mostrados outros pessoas que possuem o Geass e novos efeitos do mesmo.
Outra coisa muito interessante, para quem se amarrava nos Knightmare Frames mas ficava triste por haverem somente os modelos normais e alguns poucos modelos “diferentes” dos outros, foi o acréscimo de vários modelos novos; tanto os modelos únicos como “novos” modelos normais do tipo “Standart” ou “Default”.

Code Geass R2 - Britannia x Japão

Code Geass R2 - Britannia x Japão

As reviravoltas no enredo foram muito bem estruturadas, e as duas últimas foram excelentes e pouca gente deve conseguir raciocinar o que vai acontecer, porque realmente é repentino e inesperado.  Isso com certeza garantiu mais pontos ao envolvimento que a série gera com quem está assistindo.

Algo que não comentei no útlimo post foi que, quem desenvolveu o “design” dos personagens foram as meninas da Clamp (sim…por isso fica parecendo que você já viu esse estilo em algum lugar). Tem gente que não gosta desse traço, mas uma coisa é certa: eu acho interessante a criatividade da Clamp na hora de criar personagens, roupas e cenários, pois estes acabam ficando ricos em referências a outras culturas e informações interessantes.
Pra quem nunca parou pra prestar atenção, elas costumam fazer muitas referências a coisas e personagens conhecidos, seja de outras culturas ou da mitologia em geral.
Tanto em Code Geass, quanto Code Geass R2, existem várias referências (Lancelot, Valquírias,  Knights Of Round, Espada de Akasha, etc) que são um bom exemplo, mas não quer dizer que foram elas e não o escritor quem sugeriu isso…pra ter certeza, só conversando com um dos dois.

Code Geass R2 - Knights Of Rounds

Code Geass R2 - Knights Of Rounds

O final talvez não tenha sido o mais apropriado, mas caiu bem (diferente de um certo anime que ainda irei comentar aqui futuramente, que o autor conseguiu estragar todo o conceito da história em menos de 3 capítulos ¬¬) e não deixou nada a desejar.

Pra quem assistiu o primeiro Code Geass e gostou, Code Geass R2 é obrigatório para que você possa tirar suas dúvidas e descobrir como tudo acaba. Mesmo para quem assistiu o primeiro e não gostou muito, eu aconselho ver o segundo, já que é bem mais emocionante e fluente em artifícios novos para manter a sua atenção e interesse.

Em breve retornarei com mais informações para vocês.
Lembrando que estamos abertos a sugestões, críticas e comentários. Sempre que puderem, enviem comentários pra nós…sempre aumenta o ânimo ao saber que as pessoas gostam das informações postadas e se interessam ok! =)

See Ya! ;D

P.S.: É claro que eu não resistiria a chance livre de fazer um “pequeno” jabá né…mas é por uma boa causa.

P.S.2: Eu tenho inveja da sorte do Ougi (persongem de Code Geass pra quem tem problemas de memória)…assistam e entenderam (assim espero).

P.S.3: Será que um dia os personagens da Clamp poderão ser menos esguios e bonitos? Parece que nos mundos imaginários das história que elas fazem, “Deus” distribui dotes físicos na queimão de estoque. xD

P.S.4: Olha o que eu achei na net. Poxa, na minha época bonecos não tinham roupa de pano de verdade. Acho que quero um desses de aniversário…vou me mudar pro japão xD

Code Geass R2 - Boneco do Lelouch - Não seria legal ter um desses?

Code Geass R2 - Boneco do Lelouch - Não seria legal ter um desses?